A surpreendente declaração do economista Delfim Netto ao jornal Folha de S. Paulo atingiu os setores reacionários e de direita como um tsunami.