Comentário Popular

Contra a Música ””””””“Popular””””””” Brasileira (com muitas, muitas aspas)

Artigo Revolucionário originalmente publicado no Jornal Opinião Popular, o jornal do POVO.

Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Betânia, Elis Regina, Nara Leão, todos os cantores da assim chamada MPB não passam de fraudes. Utilizam-se indevidamente da denominação “Popular” para enriquecer.

Como os leitores, membros do povo, sabem, qualquer coisa que enriquece é fruto da exploração vil da mais-valia. Para ingressar em seu último “espetáculo”, Chico Buarque está cobrando. E caro: oitenta reais pela meia-entrada.

Particularmente (mas não privativamente. Utilizo aqui um conceito pós-moderno de “particular” que engloba toda a percepção popular e pública. É um sinônimo para publicamente, nessa acepção, assim como todas as outras palavras querem dizer a mesma coisa – “povo” ou “relativo a povo” – nessa interpretação popular), sou, enquanto povo, contra as meias-entradas. Apenas burguesinhos aceitam essa esmola ridícula dos exploradores capitalistas. A existência de meia-entrada significa que cobram-se entradas, e é difícil acreditar que alguém não tenha notado isso. Cobrança de entradas é restringir a liberdade do povo. A de ir e vir, em especial (não que haja alguma liberdade especial. Para nós, verdadeiros comunistas revolucionários, todas as liberdades são igualmente importantes).

Como dizia, antes de expor essa importante nota sobre liberdade, a assim chamada MPB deve passar a se chamar apenas MB ou MBB, Música Burguesa do Brasil. Em primeiro lugar porque não deve haver uma música popular de um país: Marx era a favor de um comunismo global, não local. “Música Popular Brasileira” é, portanto, uma contradição em termos – ou é popular, do povo, comunista, ou é brasileira, da burguesia, egoísta.

Outro motivo para recusarmos o nome de “Música Popular” para esse tipo de escória da burguesia, lambe-botas dos exploradores, é que o POVO, de fato, não gosta desse tipo de música – nem mesmo o “povo brasileiro”, se fosse possível fazer essa restrição sem cair em contradição.

Para assumir o título de “MP”, música popular, ou MPU, Música Popular Universal, sugiro “a Internacional”. Qualquer um que se oponha será considerado burguês e condenado, depois de julgamento justo e honesto, à pena capital.

"É intolerável para nós a existência, em qualquer parte do mundo, de um pensamento incorreto, por mais secreto e impotente que seja." (O'Brien)

"O Partido deseja o poder exclusivamente em benefício próprio. Não estamos interessados no bem dos outros; só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro." (O'Brien)

"Não se estabelece uma ditadura para proteger uma revolução. Faz-se a revolução para instalar a ditadura. O objetivo da perseguição é a perseguição. O objetivo da tortura é a tortura. O objetivo do poder é o poder." (O'Brien)

"Quanto mais poderoso for o Partido, menos tolerante será. Quanto mais fraca a oposição, tanto mais severo será o despotismo." (O'Brien)

"Se você quer formar uma imagem do futuro, imagine uma bota pisoteando um rosto humano — para sempre." (O'Brien)

"TODOS OS ANIMAIS SÃO IGUAIS MAS ALGUNS ANIMAIS SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS. (George Orwell, A Revolução dos Bichos)

comunistascaricatos.com.br - Ficção, Sátira e Contra-revolução Permanente

To Top